Critério de avaliação

 

I.  A média de aprovação da escola é 6,0 (SEIS). Alunos com média bimestral inferior a seis serão encaminhados à recuperação paralela no 2º, no 3º e no 4º bimestre. Não há recuperação paralela no 1º bimestre.

   A prova de recuperação paralela dos alunos do 6º ao 9º ano do 2º e do 4º bimestre será aplicada no horário do aluno. A prova de recuperação paralela do 3º bimestre acontecerá nos dois últimos tempos de aula, ou seja, das 11h10min às 12h50min. Os alunos do 1º ao 5º ano fazem a prova de recuperação paralela em seu horário de aula.

  O conteúdo a ser cobrado nas avaliações de recuperação paralela é o mesmo cobrado nas avaliações do bimestre.

 

II.  A média após a recuperação paralela é obtida somando-se a média do bimestre à nota da recuperação paralela e dividindo-se por dois. Se o aluno obtiver nota na recuperação paralela inferior à média do bimestre, a nota da recuperação não é aproveitada.

 

III.  No 4º bimestre, mesmo que o aluno já tenha conseguido o total de 24 pontos, não pode obter média inferior a 6,0 (SEIS). Se isso ocorrer, ele será encaminhado à recuperação paralela. Caso a média do 4º bimestre permaneça abaixo da média de aprovação da escola (SEIS), mesmo após a recuperação paralela, o aluno será encaminhado à recuperação final.

 

IV.  A prova de recuperação final é destinada aos alunos que não têm a média aritmética dos quatro bimestres igual ou superior a 6,0 (SEIS) em qualquer disciplina.

    A prova de recuperação final acontece no turno do aluno.

    Na prova de recuperação final, o professor  poderá cobrar conteúdos de todo o ano letivo. Não serão cobrados todos os conteúdos trabalhados. O professor marcará com a turma o que cairá na prova.

 

V. Não há segunda chamada das provas de recuperação. Somente casos de comprovada necessidade, com declaração médica, serão atendidos.

 

Observação: É importante que alunos e familiares compreendam que o Regimento Escolar da SEFEP, com seu critério de avaliação, prioriza os hábitos de estudo constantes. Em hipótese alguma o aluno pode apresentar baixo rendimento no final do ano. Não basta obter um total X de pontos! É preciso que ele mantenha uma média satisfatória, uma constância ou até progresso. Como exemplo, podemos mencionar a situação de alunos que obtêm médias elevadas no início do ano letivo quando há pouco conteúdo e, no final do ano, principalmente em disciplinas cujo nível de dificuldade é crescente, apresentam resultados abaixo do esperado. Certamente, a tais alunos, faltam requisitos imprescindíveis para o ano seguinte. Portanto, devem permanecer  cumprindo com os seus deveres para que mantenham a média esperada.